09/10/2012



Não tem poesia nem palavra difícil e nem construção sofisticada. O meu amor é simples como sorrir numa droga de fila. E não me sentir mais sozinha e nem esperando e nem desesperada e nem morrendo e nem com tanto medo. Eu sinto falta de querer fazer amigos em qualquer festa, só pra conhecer gente estranha e te contar depois. Agora, eu fico pelos cantos das festas. Voltei a achar todo mundo feio e bobo e sem nada a dizer. Porque eu acho que estava gostando mais das pessoas só porque te via em tudo. Agora as pessoas voltaram a me irritar. E eu voltei a ter que fazer muita força pra sair de casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário